Moradores da região das praias, onde está sendo implantado o primeiro sistema de tratamento de esgoto de São Francisco do Sul, ainda não podem fazer a ligação de seu imóvel residencial ou comercial na rede coletora. Para que o esgoto seja coletado e tratado pela concessionária Águas de São Francisco do Sul, todas as redes deverão estar implantadas e a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE Ubatuba) concluída e em operação. Ligações realizadas antes da autorização podem gerar problemas para o morador, como o retorno do esgoto ao imóvel, e para a cidade, provocando extravasamentos nas ruas e mau cheiro.

Victor Villela Aroeira, gestor operacional da Águas de São Francisco do Sul, explica que algumas ruas da região foram priorizadas com a rede de esgoto para acompanhar as obras de pavimentação realizadas pela prefeitura, evitando novas interferências no asfalto. Nas ruas em que forem identificadas ligações clandestinas, os moradores poderão ser notificados. Quando a rede estiver completamente instalada e em operação os moradores serão orientados pela concessionária sobre como fazer a ligação.

O  sistema de tratamento de esgoto da região das praias faz parte da primeira etapa de um amplo  projeto de coleta e tratamento que visa levar mais qualidade de vida e saúde para a cidade. A concepção total do sistema para São Francisco do Sul abrange quatro estações: a do Majorca, para tratar da região das praias; uma para a região central; uma para o Ervino; e outra para a Vila da Glória.

A  presidente da Águas de São Francisco do Sul, Reginalva Mureb, explica que  investimento em saneamento básico é, antes de mais nada, uma ação preventiva. “Com a coleta e tratamento de esgoto,  a cidade vai economizar em saúde, preservar o meio ambiente, aumentar a qualidade de vida da população e melhorar a educação das crianças, sem contar o inegável legado que vai deixar para as futuras gerações”, acrescenta.